banner rock convertPowered by Rock Convert

Montar um projeto de arquitetura que agrade a todos nem sempre é tarefa fácil. Os relacionamentos interpessoais de forma geral são desafiadores. Enquanto a humanidade não desenvolver a capacidade de ler os pensamentos uns dos outros a questão da cortesia e tato deve ser levada a sério quando o assunto é relacionar-se com alguém.

Se é difícil lidar com a relação familiar e até mesmo entre aqueles do nosso círculo de amizades o que dizer da relação com completos estranhos dentro de um contrato de prestação de serviços? Ética, transparência, comunicação e confiabilidade são atributos que todo profissional deve deixar transparecer desde a primeira conversa.

O relacionamento entre cliente e profissional tem sido um grande desafio quando trata-se de trabalhar em conjunto. Pois para garantir um bom convívio e troca de informações e serviços, ambos precisam desenvolver principalmente a educação, esta que deve-se fazer parte de todo e qualquer caso.

Seja de maneira pessoal ou profissional. A comunicação é um dos meios mais importantes na socialização, podendo por vezes obter clareza entre o que se quer, e o que pode-se oferecer. Funcionando como uma troca de valores mútua. Em muitos casos serve de conexão, em que cria-se uma ligação entre o cliente e o vendedor. Sendo esta até mesmo mais importante do que os valores do projeto.

Lidar com pessoas exige muita paciência, além de habilidades interpessoais que farão com que saia-se de problemas que podem ser solucionados sem necessidade de discussões. Lembre-se que você é o retrato do seu trabalho, então seja sempre cortês e consciente de suas qualidades para lidar com a sugestão e projeto do cliente, estando amplamente aberto a negociações e indicando fórmulas cabíveis para lidar com a insatisfação sem ser grosseiro.

Projeto de arquitetura e o mercado em ascensão:

Ao longo dos anos muitas pessoas tem procurado a realização dos seus sonhos por meio de seus projetos arquitetônicos, que podem aplicar-se na aquisição de profissionais que trabalham na área de projetos residenciais e arquitetura de interiores. A variedade de profissionais no ramo é vasta, assim como a projeção de seu trabalho, tornando assim difícil a escolha no meio de inúmeras opções cabíveis.

Uma vez que o cliente conhece o processo de criação que envolve a arquitetura fica mais fácil saber o que esperar do profissional contratado e saber se ele está sendo ético quanto aos prazos e orçamentos. Estas informações podem vir a prevenir vários desentendimentos e dores de cabeça.

Mas quais são as etapas do projeto de arquitetura?

Segundo dados da Line Arquitetura, um projeto precisa seguir os passos abaixo. Sendo ela básica em sua construção, além de variável conforme a metodologia do projeto.

  1. Definição do programa de necessidades do projeto;
  2. Levantamento/Visita ao local;
  3. Estudo Preliminar;
  4. Anteprojeto;
  5. Projeto Legal;
  6. Projeto Executivo.

Suas etapas consistem na implementação de técnicas que variam de acordo ao projeto, sendo elas diferenciadas quando trata-se de um plano específico e desejado. Logo, é importante que o arquiteto mantenha sempre o seu cliente informado quanto às possibilidades de conduzir as etapas. Respeitando seu tempo e também espaço. Além de explicá-lo cada uma delas, para que não fique nenhuma dúvida.

As etapas 1 a 3 são aquelas em que o profissional irá lidar diretamente com o cliente ouvindo suas solicitações e seus anseios em relação ao novo projeto, conhecendo o local onde o projeto será edificado e fazer um estudo sobre as condições de solo e outros fatores mais específicos da construção em si. E é exatamente nestas etapas que tudo deve ficar absolutamente claro entre prestador de serviço e cliente.

Leia também – Quais são os 10 melhores sites de arquitetura do mercado?

Áreas de atuação:

Segundo o índice do CAU(Conselho de Arquitetura e Urbanismo) 35% dos arquitetos restringem-se a projetos de arquitetura e urbanismo. 25,80% trabalham apenas com projetos básicos e 28,45% com projeto executivo.

Um dado específico chama atenção quanto a projeção de trabalhos. Cerca de 14,37% dos arquitetos que trabalham com projeto executivo fazem também coordenação de projetos complementares.

Quanto custa um projeto de arquitetura:

Um projeto de arquitetura tem um preço muito variável. Podendo assim depender do tipo de construção (sendo simples, normal ou de luxo), além de sua região (norte, nordeste, centro oeste, sudeste e sul) e também da quantidade de metros quadrados.

Logo, um projeto pode ser feito a partir de R$1268,86, chegando até 2325,23 (dados obtidos da revista Arquitetura & Construção, de julho de 2015).

Sua metragem pode ser realizada de duas maneiras, sendo elas o CUB/m² e o SINAPI.

A lei responsável por regulamentar o CUB/m² é a NBR 12.721 define os projetos de acordo com algumas características, como o acabamento, número de dependências por unidades e o número de pavimentos. Por sua vez, o IBGE desenvolveu o SINAPI, que é responsável por produzir um informativo da construção civil baseado em custo de materiais e salários pagos aos profissionais da área.

Outro fator muito importante ao se levar em consideração no orçamento para o projeto, é o profissional a ser contratado. Existem profissionais muito procurados e que geralmente cobram um preço elevado. Assim como também alguns não tão experientes e que cobram valores mais baixos.

O ideal é buscar o profissional que respeita o custo X benefício, aquele que entrega um serviço de qualidade, sem cobrar o topo da tabela de preços sugeridos pelo CAU/BR (Conselho de Arquitetura e Urbanismo do Brasil).

Voltando ao relacionamento entre cliente e profissional de arquitetura deve-se levar em conta todas as etapas mencionadas acima. O cliente deve ser ouvido quanto aos seus desejos e objetivos para aquele determinado projeto, mas, uma vez que as suas considerações foram ouvidas ele deve deixar o profissional trabalhar livremente aguardando pelo prazo previamente combinado. Já o profissional deve levar em consideração as solicitações do cliente e cumprir os prazos rigorosamente.

Algumas vezes o cliente pode fazer uma solicitação de gosto questionável… Se isso acontecer, e for apenas uma questão estética, acredito que o mais saudável é atender ao pedido. Se o mesmo for acarretar em aumento no orçamento estabelecido ou dificuldade da execução do projeto ou até mesmo comprometimento de alguma etapa, o profissional deve conversar abertamente expondo os prós e contras da solicitação.

Você já teve algum problema de relacionamento com algum cliente difícil? Deixe um comentário contando para a gente como foi  e como você lidou com isso. Gostou do nosso artigo? Não deixe de compartilhar em suas redes sociais.

Consumo de energia elétrica